27/07/2015 0 Comments Economia

Casais empreendedores que trabalham juntos pelo sonho do casamento

Juntar dinheiro para casar nem sempre é fácil. Mas mesmo que o orçamento esteja apertado e o sonho pareça distante: acredite e não desista! O melhor mesmo é organizar as finanças e tentar descolar uma graninha extra para criar uma poupança para o casório! Conversei com alguns casais que foram além! Eles não só criaram uma nova fonte de renda para auxiliar no custo de seus casamentos, como desenvolveram ainda mais os laços de companheirismo e cumplicidade trabalhando juntos!

Raizza ♥ Kayo | Cozinhando para Casar

casal_empreendedor_prontaparaosim (8)

Raizza sempre sonhou com um príncipe encantado e com o “felizes para sempre”! E depois de desilusões, encontrou em um grande amigo tudo o que esperava. Ela e Kayo estão chegando aos 5 anos de namoro, com o grande desejo de casar! Começaram a reformar o apartamento e logo viram que o sonho estava mais distante do que imaginaram.

Depois de muito conversar, o casal começou a pensar em algo que pudesse complementar o orçamento. Ela sempre gostou de cozinhar e Kayo foi sempre uma ótima cobaia. Digo, apreciador dos doces da namorada. Surgiu daí a ideia do Cozinhando para Casar. Assim, eles não apenas vendem os produtos, mas muito além disso, contam sua história e compartilham seus desejos.

Em pouco tempo, a conta no Instagram começou a fazer sucesso e eles ficaram surpresos com a aceitação do público! O casal atende a região de Caruaru, Pernambuco.

♦ Vocês estabeleceram um meta de quanto precisam levantar para o casamento? Inicialmente não, o dinheiro dos doces estão nos ajudando na reforma do nosso apartamento. Após essa fase, direcionaremos para o casamento. O que temos até agora são os orçamentos dos profissionais que gostaríamos para nossa festa.

Já tem alguma previsão de data? Provavelmente, início de 2016. Acredito que março, ainda não definimos a data.

Pretendem continuar com o negócio mesmo depois do casamento? Ou seja, o que seria apenas para complementar a renda pode virar um negócio principal? Tudo é muito novo, ainda nem completamos o segundo mês do Cozinhando para Casar, mas estamos felizes com a repercussão e o resultado  desse projeto. Confesso que ele tem muitas chances de continuar e de crescer, se Deus assim permitir.

♦ Os dois ajudam? Como dividem as tarefas e como é trabalhar juntos? Sim! Os dois participam de todo o processo. Ganhamos uma panela de presente para o nosso enxoval e todos os doces saem dela. Como só temos uma, dividimos o trabalho. Cada um faz uma massa, eu enrolo e recheio os doces. Kayo envolve nos granulados e coloca nas forminhas.
 ♦ Isso influenciou a relação de vocês? Nós já trabalhamos juntos em outro ramo há 2 anos, nos damos bem como profissionais. O que um pensa o outro executa e quando não dá certo, “quebramos a cabeça” juntos até fazer funcionar.
♦ E a família, o que achou da ideia? Eles gostaram!Nossos pais disponibilizam o espaço para que tudo aconteça, além de comprarem alguns ingredientes para testarmos novos sabores! Eles nos incentivam e torcem para que esse projeto dê super certo. Como participam? São nossos primeiros clientes. Provam e dão sugestões sobre os sabores dos doces.

Vivian ♥ Gustavo | Confeitos de Amor

A história de Vivian e Gustavo é bem parecida!

Eles, que são de Ribeirão Preto, SP, se conheceram há sete anos e depois de quatro sem se ver, se reencontraram em 2011 em um show. No terceiro ano de namoro, veio o pedido. E não foi qualquer pedido! Era aniversário de Gustavo, que tocava numa banda na época e durante um show dedicou à namorada a música Rock’n’Roll, do Led Zeppelin. E em seguida, pediu Vivian em casamento. “A gente já tinha conversado sobre isso, ido atrás das alianças, então sabia que ele ia me pedir a qualquer momento, mas eu não imaginava que seria daquele jeito. As pessoas no bar começaram a perguntar se eu que tinha sido pedida em casamento, pediram para ver a aliança. Foi divertido”, conta Vivian.

E depois do pedido, chegou a hora de planejar o casamento e a sonhada  lua de mel em Cancun, no México. Depois de algumas contas, logo viram que precisariam desembolsar no mínimo R$ 15 mil. Foi então que a pedagoga também começou a usar os dotes culinários herdados de mãe e avó para conseguir um dinheiro extra. E assim surgiu o Confeitos de Amor! E os brigadeiros do casal tem um toque todo especial de, acreditem, bebidas alcóolicas! Pra fugir do convencional, ela apostou em receitas diferenciadas com doses de tequila, whisky, cerveja, cachaça, champagne, vinho do porto e licor de chocolate!

“Quando nos demos conta, os brigadeiros alcoólicos viraram nosso carro-chefe, porque são realmente diferentes. Somos os únicos em Ribeirão que fazem de tequila, por exemplo”, conta a noiva doceira. Pode pensar em um de Amarula pra mim, Vivian!

Já tem alguma previsão de data? Temos uma previsão de data sim. Gostaríamos para o dia 16/07/2016. Mas ainda não esta definido, por conta do crescimento da empresa talvez tenhamos que adiar.

Pretendem continuar com o negócio mesmo depois do casamento? Ou seja, o que seria apenas para complementar a renda pode virar um negócio principal? Queremos continuar com a Confeitos de Amor, sem sombra da dúvidas. Estamos tentando fazer com ela cresça e se torne a renda dos dois. Por mais q sejamos pedagoga e publicitário descobrimos uma nova paixão.

♦ Os dois ajudam? Como dividem as tarefas e como é trabalhar juntos? Nós dividimos as tarefas. Eu fico com a parte da criação, produção, controle de mercadorias e conversar com os clientes. O Gustavo fica com o marketing, contabilidade, clientes, produção e louças…rsrsrsrs.

Isso influenciou a relação de vocês? A criação influenciou bastante nossa relação, como sempre falamos nem todos os casais tem a oportunidade de conhecer o companheiro no ambiente de trabalho, sempre somos um pouco diferentes. Pude perceber o quão perfeccionista eu sou e o quanto o Gustavo gosta de tudo bem planejado. As vezes discutimos, discordamos, mas tudo fica bem.
♦ E a família, o que achou da ideia? No começo a família não acreditava muito que isso poderia ir para frente mais hoje recebemos mais apoio e ajuda. Não largamos nossas profissões e conciliamos com a Confeitos de Amor. Acho que isso faz com que nossas famílias vejam que estamos com o pé no chão.
Via G1 | Fotos: (Amanda Pioli/G1) 

Grasi ♥ Guilherme | Por um Sonho de Valsa

[media-credit name=”Nereu Jr.” align=”aligncenter” width=”564″]casal-empreendedor-casamento-prontaparaosim[/media-credit]

Grasiele Santos, de 23 anos, e Guilherme Moreira, de 22,  formam mais uma casal que lutou – e muito – pra chegar no orçamento para o casamento. Os dois, professores por profissão, se arriscaram em uma nova jornada para conseguir pagar pela cerimônia. E mais uma vez, escolheram um doce caminho: a venda de bombons em bares de Belo Horizonte!

Se conheceram ainda na escola, com nove anos.  “Foi amor à primeira vista. As primeiras brincadeiras e trocas de olhar foram aos nove anos até que um dia começamos a estudar juntos no sétimo ano. Formamos no ensino médio e quando entramos na faculdade continuamos o relacionamento.”

E conheci a história deles no programa Hora do Faro, onde Grasi participou de uma gincana, como mais uma tentativa de aumentar a poupança do casamento. Ela acabou não conseguindo, mas a força de vontade dela continuou falando mais alto! Eles também contaram toda a história nessa matéria!

Depois de seis meses da campanha “Grasi e Guilherme: Por um sonho de Valsa” e de todo o trabalho, o sonho foi, enfim, realizado! Venderam 14 mil bombons e arrecadaram cerca de R$8.000! Depois de toda divulgação, receberam também propostas de ajuda de vários fornecedores, como DJ, iluminação, aluguel de carro, convites, salão de festas, foto, filmagem e músicos! E o casamento aconteceu esse mês!

Eles também responderam as nossas perguntas:

♦ Pretendem continuar com o negócio mesmo depois do casamento? Pretendemos continuar falando do amor de Deus para as pessoas a partir dessa experiência incrível!

♦ Trabalhar juntos influenciou a relação de vocês? O trabalho junto nos provou que o amor tudo crê, tudo sofre, tudo espera e tudo suporta…

♦ E a família, o que achou da ideia? Inicialmente nossa família não entendeu bem. Mas depois viram os planos de Deus se cumprirem.

♦ Qual a sensação de realizar esse sonho depois de todo o trabalho? Nossa sensação é de que valeu a pena. Faríamos tudo novamente. Foi inesquecível!

Via R7 | Fotos: Reprodução Facebook

 

A lição está dada! Eles provaram que tudo se consegue indo à luta. E de quebra, descobriram novas habilidades, melhoraram o relacionamento e, alguns deles, até garantiram uma fonte de renda!

E você, conhece outra histórias de casais empreendedores? Conte aqui pra gente!